segunda-feira, 19 de janeiro de 2009

O dia depois de amanhã

Ao longo dos meus quase 28 anos de vida eu já ouvi histórias de todo tipo. Minha fé em Deus, em Cristo, é suficiente pra acreditar em milagres, vendo meus olhos ou não. Eu mesma já tive experiências particulares com esse Deus. Mas o que eu vivi neste domingo, tem, certamente e, indubitavelmente, um peso sem medida não só pra minha fé, pro meu caminhar com Deus, mas pra minha vida como um todo. Sensação de "nascer de novo". Esta eu nunca tinha experimentado. Gratidão pela vida e olhar diferente pra cada detalhe dela. É sutil a diferença aos outros olhos, mas aos meus, é absurda! O fato é que, seguindo minha rotina mais do que habitual, eu estaria dentro daquele prédio às 17h na companhia da minha mãe, e talvez da minha irmã e do meu cunhado, para mais um culto dominical e, como muitas vezes, esperaria o término do louvor do culto das 19h para ir embora. Sentaríamos "religiosamente" no mesmo lugar, como nos últimos 12 anos, lugar onde certamente estaríamos bastante comprometidas em vista de como aconteceu o desabamento. Logo que soubemos do que acontecera, corremos para a frente da igreja. O horror que víamos diante de nós nos trazia um sentimento estranho de tristeza misturado a um "não crer", cena de filme ou coisa assim. Muita coisa já passou pela minha cabeça desde ontem! Muita mesmo! Eu já vivi a suposta cena daquele teto destruindo a minha e a vida da minha família, eu orei pra não haver vítimas fatais, eu estranhei a sensação de ter visto tudo aquilo de manhã em pé, e aquele monte de ferro retorcido no chão horas depois, eu lamentei a notícia das mortes e do número de pessoas feridas, eu sofri pela igreja (não a estrutura, mas o corpo composto por vidas), lamentei pela provável perseguição que voltaremos a sofrer com maior força desde a prisão de nossos líderes, chorei pelas famílias que perderam pessoas queridas e pelo sofrimento daquelas que tiveram seus queridos envolvidos nesta tragédia, me revoltei ao ver a expressão de profundo pesar e desconsolo no rosto de gente que se derrama em fé e amor a Deus! Meu coração é um misto que eu não posso definir e nem viver. Fujo deste sentimento de profundo lamento estranhamente decorado da mais profunda gratidão e alegria pela vida, pelo amor de Deus e pela capacidade da minha fé que resiste, que é empurrada a resistir! Mas é isso que há aqui hoje, coincidentemente o dia em que comemoro mais um ano de vida do meu pai, e três meses de desamor e saudade... Mas hoje, a minha maneira, vou celebrar em luto, e valorizar cada segundo do que há de mais caro, hoje, a vida, sempre...!

10 comentários:

Luciano disse...

Lembrei-me:
http://br.youtube.com/watch?v=w1uoboFBn0A

Vivian disse...

A melhor coisa desta manhã triste foi te ligar, meio ensonada, sem acreditar no que estava lendo, e ouvir tua voz.
Você nasceu de novo, amiga. Graças a Deus vc está bem.
Beijos e se cuida.
Vi

Camila Caringe disse...

Surreal.

Meggy disse...

Milagre!

suely disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Michelle Ribeiro disse...

O único consolo em momentos é assim é acreditar que Deus sabe o que faz...

Lari Saram disse...

Não tinha que ser!Ainda bem!

Michelle Ribeiro disse...

Amanda...indiquei seu blog para ganhar selinhos...Passa no meu e pega! Adoro tudo o que vc escreve!

beijos

splendid disse...

clutch bags
ladies bags
mulberry bag
mulberry handbags
mulberry handbag

Adriana disse...

Amanda, Como não deixar de agradecer após ter lido esse texto a sua presença e preocupação junto com sua irmã e seu pai ao me busca no hospital. Nunca tive muito contato com você mas naquele dia vc ganhou o meu coração. Eu não esqueço até hoje a sua preocupaçao, vc comprando briga com o medico por mim porque ele não tirou radiografia da minha cabeça.
Vcs naquele dia me deixaram muito feliz mesmo em meio a tanta dor no corpo e na alma, porque senti que não estava sozinha. Até parecia que tinha ganhado uma familia.
Naquele dia tb era aniversario do meu pai, e há alguns anos antes no mesmo dia ele perdeu a mãe dele, e dessa vez quase (se não fosse por um milagre divino) também perdeu a filha.
Vc ganhou a minha admiração com um pequeno gesto que significou muito para mim. E pode ter certeza que eu tenho eterna gratidão pela sua familia, e em especial pela sua irmã que se mostrou daquela temporada a pessoa mais incrivel que eu já conheci.