sábado, 28 de fevereiro de 2009

Por quê?

E será mesmo o amor um devaneio?
Algo irreal, imaginário, abstrato e não-palpável?
Fruto da imaginação, da ilusão, da carência mais profunda?
E eu serei sempre isso?
Um passatempo, um pretexto, um objeto perfeito para “brincar de amar”?
Até quando serei não digna?
Até quando não o bastante pra mais do que isso que me deram a conhecer?
Não posso ser a protagonista do amor convencional?
Por que não?
Daquele que faz alguém correr, gritar, urrar, espernear, insistir, não desistir?
Por que tenho a impressão de só ter sentido o cheiro do amor até agora?
Será que idealizo demais?
Por que eu vejo tantas histórias de amor que desejo pra mim...
E só vivo algumas fantasias que mais parecem um sonho que deixou apenas flashs de lembranças raras pela manhã?
Por que o amor por mim parece tão frágil e sem importância
Por que me sinto assim tão...
Dispensável?
Eu que acho mesmo que o amor não é carnal
Eu que acredito mesmo que por amor eu poderia qualquer coisa... absolutamente tudo
Eu que nem acho que algumas convenções são tão necessárias assim para o amor
Eu que queria tanto e mais que meu próprio ar estar com você agora
Porque voltei a sentir sua absoluta ausência esta semana
Eu que voltei a me iludir e pensar que algum dia poderemos vivenciar tudo de novo
E me apego a tantas outras oportunidades que às vezes parecem se mostrar pra mim
Mas no fundo são insuficientes
Não me bastam
Porque me sinto tão pouco amada por tudo, por todos e até por mim
Que penso que ainda não existe o amor que vá me completar
Eu que anseio tanto... e estou cega...

4 comentários:

Camila Caringe disse...

"Até quando serei não digna?"

Não entendi essa parte.
Recaptula pra mim?

Quando você deixou de ser digna? Desde quando alguém deixa de ser digno do amor? Não entendo essa parte. Seu argumento se tornou tautológico no instante que partiu da premissa de que alguém pode não ser mais digno a partir de algum momento.
Mas, creio, a gente tem o que planta. E o plantio é livre, mas a colheita é obrigatória.
Será que está semeando os "brotos" certos?
Regue com mais amor esses momentos de não-entender. Eles brotarão e crescerão amor. E devolverão pra você o que se tornaram ao crescer fortes: amor.

Montanha disse...

"Porque me sinto tão pouco amada por tudo, por todos e até por mim"

Será que tudo isto não está dentro de você e ainda não encontrou? Será que a forma de ver as coisas não está errada?

A felicidade está dentro de nós, acredite, procure e ao encontrar, sorria, grite e viva intensamente...

Montanha

Iêda disse...

Para (como é feio escreverpara de parar sem acento, né?) já com isso!!!!
Que horror, Mandy!! Diga pra mim que isso é só um texto, que não é o que vc sente. Sei o quanto vc é amada por um monte de gente. Agora, amar e ser mada incondicionalmente por alguém que seja só seu... pode acontecer a qualquer momento. É só não ficar só se lamentando, é acreditar que vc é bela por dentro e por fora e vai chegar uma hora que isso vai acontecer. E o que passou será apenas uma lembranças.... ;)
beijão

Michelle Ribeiro disse...

Não acredito que uma menina tão inteligente como vc é capaz de pensar assim. "Até quando serei não digna?" O amor não é questão de dignidade...e se for, quem sabe ele que não é digno do seu amor? Não se culpe por nada...o amor é o sentimento mais lindo que existe e ele só vai chegar completo p vc quando vc se deixar ser completa p ele.