domingo, 8 de março de 2009

Os Teus olhos vão estar...

Desci do táxi e de nada me apercebera até aquele momento. Mas da rua, antes mesmo de entrar pelo portão, um som já soava diferente, não nos ouvidos, mas nas entranhas da alma. E a cada passo que eu dava, uma emoção tomava conta das palpitações do meu coração, lentamente, mas com força suficiente pra embargar a garganta, e ao ganhar a porta e entrar pelo corredor lateral o choro já se fazia nó e só então eu percebi que desde lá de fora eu já cantarolava a letra da canção e minha voz ia ganhando volume quanto mais perto eu chegava e mais alto se tornava o som das caixas acústicas... acho que pra eu escutar a minha própria voz mais audível que a banda e o som dos instrumentos, porque minha emoção se extasia e vem à tona assim, cantando, chorando, extravasando o amor que percebo ser tão intenso nessa hora de intimidade...

E isso nada tem a ver com paredes, com endereço, com placa... mas com átrios, com presença, com signos, significados...

Nem sei quanto tempo estive longe, talvez um mês, talvez mais, talvez menos, mas uma abrupta tristeza sombria veio repousar sobre mim nos últimos dias tornando este tempo ainda maior na minha impressão. Eu já nem me lembrava o tamanho do poder que tem Tua voz sobre mim... eu já nem me lembrava como era a sinfonia, eu já até me esquecera... de tantas coisas, do Teu olhar, do barulho de águas, uma torrente, ou de trovão, quase terremoto, que me causa imensidão de calmaria... a Tua voz...

Por que eu me esquecera? Talvez se tivesse lembrado, se tivesse podido escutá-la estes dias... mas quando a escutei hoje de manhã me vieram tantas respostas pra perguntas que me rodeavam incabíveis no escuro que se alastrou neste quarto nos últimos tempos...

Definitivamente eu não preciso temer a religião e tudo que advem dela, simplesmente porque Tu não se resumes a isso, porque Tu não és isso... que bom... que bom!

Que bom que és verdadeiramente TUDO, e toda a minha certeza de sentido. Que bom que me sinto de novo em lugar reconhecível, e que mais uma vez, das tantas outras milhares, viestes me buscar, aqui, neste novo lugar que eu encontrei pra me esconder, de mim, de tudo, de todos, mas não de Ti...

Que bom que as cores se fizeram coloridas de novo, e que as minhas lágrimas agora têm o gosto salgado do alívio dos Teus braços fortes onde, e somente onde tenho o encontro mais real que eu poderia ter, comigo, porque encontro contigo e tenho a certeza de todos os ‘porquês’ e de tudo que eu sou ou não, e já não me importa, eu me lanço porque confio, e sei, e sinto, o amor, na plenitude do que pode e deve ser, o amor, Tu, Teu, meu, e é tanto, que faz também meu amor por Ti ser mais amor do que qualquer amor que eu sequer poderia idealizar...

Em resumo, a letra da canção, lembrada por Teu espírito nesta manhã de domingo, diz muito...

Não há quem possa ficar tão longe...

Se eu fizer a minha casa no mais alto
Se eu armar a minha cama entre os mortos
Os Teus olhos vão estar
EU SEI



... em todo lugar!

5 comentários:

Iêda disse...

Parabéns pelo texto, pela volta e pela força que voltou a ter!
Ótima Semana! Beijão

Michelle Ribeiro disse...

Essa é minha garota!

Livia disse...

Linda...sabia que vc sentiria Ele tocar o seu coração de novo...

Bjão :)

Vivian disse...

belíssima e pessoal conversa com Ele. Já te disse que admiro sua relação, né?
e que bom ter vc de volta.
beijinhos

Anônimo disse...

tem gente se confundindo...
isso que a garota sentiu foi o toque do espirito santo...!
te amo Jesus!!!