terça-feira, 21 de abril de 2009

Porque a angústia, meu amor, é essa tristeza sem rosto, sem acontecimento, sem desencadeador, sem réu. É de repente não caber em lugar algum e escrever esse amontoado de palavras magoadas com ninguém. Essa angústia a gente não puxa, não escolhe, ela entra na gente assim como a noite caindo lenta e definitiva. E ela aperta teu peito com toda disposição do mundo. Angústia te tira do mundo de fora, te deixa encolhido olhando pra dentro, porque não se pode apontar o dedo e nem colocar a culpa em ninguém, ela simplesmente é esse mal-estar que te faz querer mudar tudo de lugar e se fazer alguns ajustes. Você não vai conseguir sequer fingir que está bem se ela te abraçar. Angústia te deixa enfastiado com a própria rotina, com o seu jeito antigo de conduzir as coisas. Ela te pede morte e renovação. Ela te impõe uma perda irremediável do que você era antes, ela te força a trocar de pele como se você tivesse tomado muito sol... sem proteção. O que a angústia quer de você é a desaceleração pra parar e contemplar e agir de acordo com o que pede a tua sede de alma...
Ela vem pra gritar aquilo que seu coração sussurrou tantas vezes num momento em que você pensava estar ocupado demais para ouvir.

Marla de Queiroz

7 comentários:

Iêda disse...

Ai, ai... gostei da escolha!!
bjo

Lari Saram disse...

Sempre têm textos lindos por aqui!

Luciano disse...

A Angústia é o fruta da qual nos alimentamos quando a fome é tanta e a comida é pouca.

Cadinho RoCo disse...

Na angustia é sempre bom instalar diálogo para que dela possamos sentir o que por ela podemos fazer.
Cadinho RoCo

.::Li Hormigo::. disse...

"Ela vem pra gritar aquilo que seu coração sussurrou tantas vezes num momento em que você pensava estar ocupado demais para ouvir."
Ai que lindo isso!
Bjos

Michelle Ribeiro disse...

Faço suas as minhas palavras: "O que dizer acerca dela não é mesmo?!"

beijos minha linda

Montanha disse...

Muito lindo!!! Sem palavras