domingo, 14 de junho de 2009

Cabe tanto...

Eu não sei ser coerente quando rasgada pela fome de liberdade e a sede de braços únicos onde eu encontre o meu sossego.

Sonho com coisas equidistantes, do ponto de vista da física aquântica. Ora eu quero ter um canto só meu. Paredes habitadas por móveis e decoração que me traduzam. Um animal de estimação que dependa só de mim pra alimentá-lo, listas de compras pregadas com ímãs à geladeira e um porta-cartas atrás da porta. Tudo que me faça tomar de vez as rédeas da minha vida.

Eu sinto esse desejo queimar meu âmago especialmente nos dias em que chego em casa do trabalho e gostaria de escolher a trilha e o volume do som antes de entrar no chuveiro largando as peças de roupa uma a uma pelo caminho da sala até o banheiro.

Pegar meu carro quando me desse na telha e rodar pelas ruas da cidade com o vidro aberto e o vento batendo forte contra o meu rosto sentindo que a minha vida e o meu destino são só meus mesmo, e eu escolho a hora de voltar pra casa.

Mas eu também sonho com uma família. Alguém especial pra amar, pra dar satisfações. Chegar em casa e contar como foi o meu dia e ouvir também as histórias que desenharam o dele. E filhos pra cuidar, uma casa pra administrar e um endereço que dite o rumo da minha vida.

Até o momento em que me imagino com uma mala pequena nas mãos e um passaporte que me coloque em uma cidade diferente a cada mês do ano. Uma agenda pra anotar os nomes de cada lugar que visitei, os livros que li e os filmes a que assisti. Me encher de arte de toda parte do mundo e olhar paisagens distintas. Sentir cheiros e sabores que me dêem a real dimensão do meu tamanho diante da imensidão de cores do universo.

Eu não sei ser coerente quando desejo o mundo...



... dentro de um postal.

5 comentários:

Iêda disse...

É, a vida é assim incoerente mesmo... E quantas pessoas no mundo não queriam estar exatamente como vc está. rs A gente quer tudo que nos parece bom e não enxergamos o lado ruim de cada uma das escolhas; isso acontece com todos. Eu também tenho escolhas incoerentes muitas vezes... até acharmos o nosso happy end!
beijão

Luciano de Sálua disse...

E nem seja, por favor.

Montanha disse...

Saber escolher e enxergar o que está ao nosso redor, em cada escolha, é sábio.
E, tenha certeza que as "incoerencias" fazem parte da nossa trilha sonora diária.

Montanha

Lari Saram disse...

Tantas escolhas, tantas possibilidades...Não te dá um frio na barriga quando imagina que pode fazer tudo isso?

Eu sinto, e muito!

Filomenas disse...

Eu tenho a sorte de já ter encontrado o meu sonho...

beijos

Michelle