sexta-feira, 14 de agosto de 2009

Outro dia notei que a lembrança se esvaía... mais e mais. Comentei com algum amigo até que já não doía mais assim, sem mais, mas com qualquer meditação mais concentrada sim.

Ontem, depois de ter desistido por algumas semanas, meses talvez, de ter notícias suas por um dos meus possíveis “através” já que há muito andava estático, me lembrei dele e resolvi fazer uma nova tentativa.

Vi uma foto. Você estava ali, entre outros, o único de costas pro meu olhar...

Inevitavel e instintivamente comecei a chorar...

... e depois, em meio a um choro doído de saudade, me percebi rindo extasiante por dentro quando li que você galgou mais um degrau do sucesso... o que você deseja e persegue de fato... o que meu coração te deseja e te envia por energia de querer bem...

Então... acho que ainda posso chamar isso de amor.

4 comentários:

Luciano de Sálua disse...

Podemos, minha cara amiga, podemos.

Iêda disse...

É, é assim mesmo o amor!! :)

.::Li::. disse...

Ah, são tantos tipos de amor...
Mas ainda assim, nem sempre ele é tudo, não?

Bjs =)

Ceiça disse...

Amores q doi,AMORES q amargam sãO amores..!