terça-feira, 18 de agosto de 2009

Pra não dizer da grandeza que resulta das minúcias...

Porque com uma sensação de bem estar e de mãos dadas comigo eu certamente estaria nos seus braços agora. Eu certamente não pensaria tanto em pensar demasiadamente. Eu certamente não trocaria a emoção do seu abraço por uma eternidade de sobriedade enlatada e incoerente. Não teria desperdiçado um gole se quer dos seus beijos. Um suspiro que fosse, o fôlego todo de vida que há nessa sua coragem incontida. Sem o peso do medo, sem a carga da moral e dos bons costumes tecida pelos que desperdiçam a vida com etiquetas frias e sintéticas, eu teria no meu rosto o seu álito doce. Eu sei que teria suas mãos estendidas e aquele olhar que mistura tão sutilmente o cuidado e o desejo. Eu passaria longe da aflição da distância e da saudade que me consomem quando eu entendo o tamanho da tolice que nos separa, que me separa de mim mesma...

3 comentários:

Iêda disse...

Hoje me identifiquei com parte do seu texto... rs Muito bom, Mandy! beijos

Larissa Saram disse...

Li seu texto e lembrei que já senti tanta coisa parecida...

.::Li::. disse...

Acabemos com a tolice, então???

bjs!