quinta-feira, 17 de setembro de 2009

Pausa para viver...

Daqui de dentro tudo é tão distante, tão impessoal. Daqui de dentro todos sãos estranhos, a espécie é surreal. Eu vejo gente vazia, atitudes programadas, sentimentos digitalizados. Eu sinto uma falta de sentido que estrangula o meu sentir. Daqui de dentro tudo a minha volta vai ficando pequenino, quanto mais longe eu voo, quanto mais eu me distancio. Olhando de cima é todo esse nó. De frente o nó vira pó. Nada é real, tudo é pueril. Enquanto o tempo passa dentro de uma sala repleta de ruídos sonoros, vozes tensas e diálogos protocolados, a natureza ri lá fora, o sol se atira desnudado, os animais, a vegetação, os rios e mares, todos brincam numa ciranda fechada em torno do amor. E daqui de dentro eu bato palmas, como a criança a espera do convite pra brincar.

3 comentários:

Luciano de Sálua disse...

Eu convido: Vamos brincar?

Virgínia Ribeiro disse...

Manda, se te chamarem, CHAMA EU!!!!
bjs

Lolla...doida varrida! disse...

gostei daqui e vou te seguir tá?
passa lá no meu tombemmmm-kkk
bjus