sexta-feira, 23 de abril de 2010

Esse meu amor semi-perfeito...

Eu me forço a recuperar momentos sublimes como naquele dia, quando eu não contive o choro, e você muito sutilmente puxou-me para o teu abraço. Eu faço isso o tempo todo. Porque prefiro a doçura destilada tantas vezes por teus olhos do que essa frieza pronunciada em palavras. É porque eu não fui preparada pra lidar com alguém que eu não conheci. E eu nunca conheci esse você que não gosta de mim! Esse você que prefere a minha completa inexistência, que se abstém assim tão duramente de mim e desse meu amor semi-perfeito. Eu não sei pensar o fim dessa paixão que nos ofuscou as almas. Que nos levou aos lugares tão nossos, um do outro. Eu não sei abdicar desse sentimento de pertencimento que você me descortinou. Essa sensação de saber o endereço de pra onde a gente sempre quer voltar. E eu continuo querendo voltar pra esse lugar.

6 comentários:

Rakal D'Addio disse...

É sobre o Guguets? Fiquei com essa sensação, mas, vem cá, "puxou-me para o teu braço"? E esse eufemismo, heim? O sujeito se desdobra para puxar 200 kg no supino e você chama a ferramenta de trabalho do cara de "braço"?

Rakal D'Addio disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Iêda disse...

Só tenho a dizer que me identifiquei com grande parte do seu post, principalmente quando diz "É porque eu não fui preparada pra lidar com alguém que eu não conheci. E eu nunca conheci esse você que não gosta de mim!"...
Coragem!! Tudo vai ser bom de novo...

Anderson disse...

Rakal é um gênio

Virgínia Ribeiro disse...

Lindo Flor...

Camila Caringe disse...

Não volta não, Mandy...
Não volta.
Anda pra frente...