sexta-feira, 21 de maio de 2010

Quem sabe...

Um dia eu vou entender que não preciso implorar ao amor, porque ele se entrega sem querer nada em troca. Um dia eu vou encontrar um coração que vai reconhecer o meu pelo som do silêncio na pausa que entrecortará nossas batidas e no segundo sem respirar que vai preencher os próximos sonhos. Um dia eu vou entender porque o não vem sempre que eu digo sim e porque essa teimosia em querer encontrar a resposta pro não amor se afinal ele prefere se calar. Um dia eu vou ser capaz de não escrever quando meu coração estiver tão cheio de poesia triste. Um dia certas canções vão deixar de repetir o seu nome. Assim espero...

Um comentário:

Camila Caringe disse...

Esses dias eu tava ouvindo uma música no rádio, do Oswaldo Montenegro, que me dizia pra fazer uma lista de quantos "eu te amos" eram pra sempre nos últimos dez e anos e não foram. Daí, de repente, me dei conta de como fui leviana com corações alheio e como foram levianos com o meu.

Mas o mundo gira e a gente tem que deixar ele girar. O tempo leva, lava, louva. A gente só tem que deixar isso tudo acontecer.